ArabicBasqueBelarusianCatalanChinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

A ENERGIA VAI SUBIR DE NOVO: PRIVATIZAM COPEL, UMA DAS MAIORES EMPRESAS DE ELETRICIDADE DO BRASIL

Demonstração mais clara de parasitismo burguês é impossível. Privatizam uma das maiores companhias de eletricidade do Brasil, justamente por causa dos seus altos níveis de lucro.

Apesar dos recordes de lucro da empresa COPEL e de que uma parte deste dinheiro é destinado para projetos sociais do povo brasileiro, apesar das denúncias de irregularidades da própria “esquerda” integrada ao regime enquanto a votação, apesar das incertezas e demissões dos trabalhadores, em um momento onde a crise aperta e a inflação está presente, os ricos empresários insistem pegar tudo o que for possível a troco de nada para manter os lucros e privilégios.

O governo Lula/ Alckmin prometeu novos programas sociais, porém com a nova venda de uma estatal e com um dos maiores privatizacionistas do Brasil como vice-presidente, surge a questão: Como conseguirão manter os PROGRAMAS SOCIAIS sem disparar o endividamento público? EM BENEFÍCIO DE QUEM SE GOVERNARÁ?

Estão vendendo a COPEL por apenas dois anos de lucro da empresa! Sim, isso mesmo; não chega nem perto da metade do que equivale a mesma.

Foram 38 votos a favor e 14 contra no Senado. Isso quer dizer que o estado ficará com apenas 10% da empresa. Só no primeiro trimestre de 2022, a Copel gerou R$1,5 bilhão em EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), com um lucro líquido de 669,8 milhões de reais. No ano passado, a empresa aumentou de R$ 2,5 bilhões para R$ 3,08 bilhões.

Na assembleia legislativa asseguraram que “A transformação da COPEL em uma corporação tem como principal objetivo aumentar sua competitividade no setor elétrico brasileiro para beneficiar o consumidor paranaense. Este setor passa por uma profunda mudança e, apesar das transformações que vêm ocorrendo no setor, deve-se dizer que o mesmo é reconhecido pela sua maturidade e segurança regulatória e institucional, mantendo assim as condições necessárias para atração de capital privada”.

De tudo isso que você leu, fica a seguinte conclusão: No Brasil se governa para o rico, o burguês, e para continuar massacrando o povo brasileiro.

Empresa foi criada para oferecer energia a preços básicos, Copel foi fundada em 1954 por Bento Munhoz da Rocha com o objetivo de oferecer energia a preços básicos para a população, proporcionando qualidade de vida e fazendo com que as empresas progredissem…

Trabalhadores e sindicalistas na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), 23-11-2022.
Mobilização popular contra a venda da Copel, em 2001, impediu o processo de privatização – Arquivo Senge

Se continuarem “vendendo” o patrimônio públicos, o Estado brasileiro perderá cada vez mais a escassa soberania que ainda tem; contará com menos recursos para a população e os custos de vida serão cada vez mais altos.

O aperto do controle do imperialismo, principalmente do imperialismo norte-americano, que enfrenta a sua maior crise histórica, se faz sentir cada vez mais; estamos sendo cada vez mais “pau mandados” das potências estrangeiras, ou seja, avançamos rapidamente para nos tornarmos “um Chile” ;e olhem a onde 30 anos de políticas neoliberais *capitalistas* levou o país… Leia aqui sobre o Chile e a desigualdade social gerada pela aplicação das políticas neoliberais por mais de 30 anos.

Mas como o Brasil tem um legado histórico gigantesco em relação ao abandono da população pobre, principalmente negra, o Haiti brasileiro somente tende a crescer enquanto a riqueza a cada dia fica mais concentrada.

A imposição da agenda “neoliberal” no Brasil e América Latina, desta maneira atrapalhada, desastrosa e brusca, ocorre devido ao atual cenário de crise e à guerra capitalista que estamos vivendo. Assim, a imposição escancarada do programa “neoliberal” é forçosamente imposta, sem nenhum tipo de vaselina com o objetivo de:

De este modo, é papel dos trabalhadores, dos verdadeiros lutadores sociais, apoiarem todas as manifestações dos trabalhadores contra as privatizações, lutarem contra a imposição da agenda “neoliberal” e de organizar a luta pela expropriação dos meios de produção da classe mais parasita do nosso tempo, a burguesia.

Quer entender melhor como isso aqui não é coisa nova? Olha todas as vendas a preço de banana que o Governo Brasileiro entrega> Privatização, o canto da sereia do imperialismo.

COMPARTIR:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deja un comentario

Plataforma Latino Americana