Por quê Bolsonaro renovou a concessão da Rede Globo?

Por quê Bolsonaro renovou a concessão da Rede Globo?

Bolsonaro recebeu um "tá te queto" e não falou nada. No malabarismo para controlar a América Latina, para o desprevinido, as coisas só vão ficar mais confusas.

No dia 20 de dezembro, Jair Bolsonaro, já no apagar das luzes, renovou a concessão da Rede Globo por mais 15 anos. E fez o mesmo com a Band, a Rede Record e o SBT.

A pergunta é porque depois de quatro anos de conflito frontal com a Rede Globo, Bolsonaro fez questão de fazer essa renovação e não deixá-la para Lula.

A resposta se relaciona com o conjunto do regime político brasileiro.

Foi a confirmação da submissão de Bolsonaro à burguesia e ao imperialismo.

Conforme a crise capitalista mundial tem avançado e o aperto do imperialismo norte-americano sobre a nossa região, que é considerada como o seu quintal traseiro, tem aumentado, as margens de manobra para as discordâncias dos políticos oficiais com a política oficial (que tem dono!) tem se reduzido consideravelmente.

A própria ascensão de Jair Bolsonaro e do Bolsonarismo foi produto da maior fraude eleitoral em um século.

A vitória de Lula/ Alckmin nas eleições de 2022 foi um produto da mesma política, como candidatos oficiais do governo Biden. Mas com uma caraterística peculiar.

Lula/ Alckmin venceram as eleições presidenciais, por uma margem curta, incluindo uma “frente ampla” que inclui todos os elementos da política nacional desde a “extrema esquerda” oficial até elementos da extrema direita não Bolsonarista.

O Bolsonarismo venceu de lavada no primeiro turno as eleições legislativas. E ainda levou os principais estados da Federação.

Parte dos “Bolsonaristas” estão sendo cooptados pelo novo governo, mas o conjunto do regime político continua tão capacho e entreguista como tem sido desde o retorno à “democracia”, pelo menos.

Os trabalhadores e o povo brasileiro precisam enfrentar a brutal crise que a burguesia e o imperialismo buscam jogar sobre as suas costas defendendo seus próprios interesses:

1. Revogação de todas as concessões públicas da imprensa. Retomá-las com critérios sociais, como por exemplo, para que o tempo seja utilizado por universidades, sindicatos, organizações sociais e empresas públicas em primeiro lugar.

2. Ampla liberdade de imprensa e expressão, com a revogação de todas as restrições.

3. Ampla liberdade de organização política. Proibir as empresas contribuírem com campanhas políticas. Os partidos devem ater-se estritamente a recursos públicos, com tempos iguais na televisão e demais órgãos de imprensa. O salário dos deputados não deve ultrapassar o salário de um operário médio.

4. Fim das privatizações e cancelamento das que já foram feitas, sob o controle dos trabalhadores organizados em comitês.

5. Repatriação dos mais de US$500 bilhões que os ricaços brasileiros detêm em paraísos fiscais e aplicação de todas as multas correspondentes. 

6. Cancelamento da ultra corrupta dívida pública (que hoje consome mais de 40% do Orçamento Público Federal). 

7. Estatização do sistema financeiro, de minas e energias e do comércio exterior.

8. Fim do segredo comercial de todas as empresas e dos acordos realizados pelo governo em todas as esferas. 

9. Transparência de todos os contratos públicos em todos os níveis e negociações do governo federal, dos governos estaduais e prefeituras com as empreiteiras e demais empresas. Auditoria ampla e pública. 

COMPARTIR:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deja un comentario

Plataforma Latino Americana