ArabicBasqueBelarusianCatalanChinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
O Rei da Vela

O Rei da Vela

Salomão disse-me: “O que foi tornará a ser, o que foi feito se fará novamente; não há nada novo debaixo do sol”. (Ec 1:9).

Brasil:

País de capitalismo dependente, Presente! Entregando dia a dia nossas riquezas às potências imperialistas, Presente! Dependente do capital estrangeiro que mais subtrai do que multiplica, Presente! Tem uma ex-querda ino-festiva (inofensiva e festiva) que trai constantemente os interesses dos trabalhadores e da juventude, Presente! Acumula intelectuais de goela que vivem a desejar Paris e a odiar a América Latina, Presente!

Brasil: “[…] carroça e vela!”

As riquezas construídas sobre nossos ossos, músculos e sangue diariamente arrancadas são. Os que assim procedem nos mantêm entre as zonas de pobreza e extrema-pobreza. Hoje somos um exército de 33 milhões de famélicos. Volta e meia, assistimos ao surgimento de fascistas meia-curas. Enquanto a fome, as crises, as epidemias, as guerras avançam, continuamos a defender teorias descoladas da realidade.

Tia Júlia pergunta ao Zequinha:

Haverá possibilidade de cidadania no Brasil sem soberania alimentar e energética?

De soberania alimentar e energética sem soberania nacional e integração territorial?

Zequinha responde:

  • Talvez alguns Psolistas ou Petistas do meu bairro tenham a solução mágica para problemas antigos. Afinal de contas, eles são os primeiros socialistas que aparecem no Teatro Brasileiro. Eles me vendem ilusões!
  • Ele não!

Dirigentes e integrantes desses partidos adotaram como tarefa prática frear o ímpeto revolucionário das massas populares e da juventude, conduzindo o olhar de todos ao “Lula-lá contra a barbárie”, nome engraçado que até parece filme dos Trapalhões da década de 80. (risos).

O que se busca esconder, na verdade, é que a democracia burguesa se esgotou e, portanto, precisamos levantar novos Palmares, Canudos, Contestados, Joões Cândidos e afins. Como o capital financeiro internacional por tudo responde, responde também pelas palavras de ordem da galera “descolada” cheia de neuroses.

Oh! good business.

  • “Em troca da liberdade das mulheres, chega-se ao casamento!”

O patrimônio quer matrimônio. O Power Pater escraviza el útero de las madres. Quem tem propriedade tem família. Quem não tem, tem prole. PROLETÁRIO!

  • “Família não é o tesouro mais sagrado, mas é por ela que o tesouro se perpetua”. Escravidão das mulheres. Escravidão das crianças. Power Pater.

Amanhã, quando entrares na posse de sua fortuna, defenderás também a sagrada instituição da família, a virgindade e o pudor, para que o dinheiro permaneça através dos filhos legítimos, numa só classe…

Oswald de Andrade, O Rei da Vela

Defina:

  1. Casamento: Instituição monogâmica heteronormativa. 
  2. Família: Núcleo burguês bolso-doriano de reprodução e valorização do capital. 
  • “A família é o ideal do homem! A propriedade também. E Dona Heloísa é um anjo! […] O resto é prole”.

Sobre as graças de Deus que o Ocidente importou do Oriente, dando-lhe olhos azuis e cabelos loiros, o casamento e a família se constituem.

Aos escravos, a lei. Aos senhores, o gozo.

Segundo o último grande romancista da burguesia: “a civilização se levanta sobre o símbolo máximo da repressão”.

  • Mesopotâmia, primeira civilização. Código de Hamurabi, primeira lei de repressão. 

Bom negócio é a monogamia, ainda mais quando acompanhada da heteronormatividade. Good business! Follow the money!

Até casais homoeróticos no século XXI são regidos pelo império da heteronormatividade. A deusa mercadoria, vestida ora de troca ora de uso, controla as relações sociais. A ela só interessa o que não lhe pertence.

O resultado de uma liberdade sexual oferecida pelo poder é uma verdadeira neurose geral. […] Com efeito, o coito (ato sexual) é político. O coito – com toda a permissividade do mundo – continua sendo um tabu.

Pasolini – Jovens Infelizes

Repressão: controle direto sobre os corpos e como esses se relacionam entre si. Reprimere Coitus. A repressão mantém os corpos distantes, ora pelo medo, ora pela desconfiança, ora pelo desejo retorcido, ora por todas as coisas juntas. A repressão serve à exploração.

“É preciso distrair o povo”:

  • Datenas. Telenovelas. Programas de auditório. Netflix. Amazon Prime. Milagres. Eu sou a Universal! 

“É preciso guerra – […] a Rússia está aporrinhando o mundo!”. 

  • Guns & RoSaS. Armas para matar. RoSaS para enterrar.

* * * 

  1. Petróleo caro na Terra da Biomassa? Absurdo.
  2. Fome na Terra de Pindorama? Absurdo.
  3. Intelectuais démodé? Absurdo.
  4. Insuficiência energética no país do Sol? Absurdo.
  5. Telenovela no lugar do Cinema Novo? Absurdo.
  6. José Padilha no lugar de Glauber Rocha? Absurdo. 
  7. Tropa de Elite no lugar de Terra em Transe? Absurdo ao ⎕.

Padilha. Um dos responsáveis pela ascensão do nazifascismo no Brasil. “Ei, Givaldo – pede pra sair!”whoosh! swooish!

Bob e Harvey Weinstein. Irmãos e ex-donos da Miramax, genuínos representantes do imperialismo ianque, ao lado do argentino Eduardo Costantini, dono do Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires, investiram R$ 4 milhões no filme de Padilha.

Cinema de Poesia

Sara: Morreria gente, Paulo, o sangue, o sangue

Paulo: Não se muda a História com lágrimas

Sara: Se todos pegarem em armas, quando todos pegarem em armas… Até mesmo gente como você.

Paulo: Gente como nós, burgueses, fracos. Mas eu assumo os riscos, eu assumo os riscos… 

Sara: Pare, Paulo. Pare, Paulo, a sua loucura…

Paulo: A minha loucura é a minha consciência. A minha consciência está aqui, no momento da verdade, na hora da decisão, na luta, mesmo na certeza da morte.

Glauber Rocha em 4 pontos:… [Estética Do Sonho]

  • As raízes índias e negras do povo latino-americano devem ser compreendidas como a única força desenvolvida deste continente. Nossas classes médias e burguesias são caricaturas decadentes das sociedades colonizadoras. […] A cultura popular não é o que se chama tecnicamente de folclore, mas a linguagem popular de permanente rebelião histórica. 
  • […] O encontro dos revolucionários desligados da razão burguesa com as estruturas mais significativas desta cultura popular será a primeira configuração de um novo significado revolucionário. […] Arte revolucionária deve ser uma mágica capaz de enfeitiçar o homem a tal ponto que ele não suporte mais viver nesta realidade absurda. 
  • Os sistemas culturais atuantes, de direita e de esquerda, estão presos a uma razão conservadora. O fracasso das esquerdas no Brasil é resultado deste vício colonizador. […] As respostas da esquerda, exemplifico outra vez no Brasil, foram paternalistas em relação ao tema central dos conflitos políticos: as massas pobres.

  • A razão do povo se converte na razão da burguesia sobre o povo.

* * *

“Pelo que vejo o socialismo nos países atrasados começa logo assim… Entrando num acordo com a propriedade… (Abelardo I).”

“Nunca antes na história deste país os bancos lucraram tanto como em meu governo – 200 bilhões de 2003-2010”. (Lula)

  • “Olhe imbecil, escute. A luta de classes existe. Qual é a sua classe? Vamos diga! (Diaz – Terra em Transe). ”

“As respostas da esquerda, […], foram paternalistas…” (Glauber).

  • O PATER da ex-querda disfarça a sua aporofobia. Nada muito diferente do que a extrema-direita meia-cura apresenta. Todos querem uma noite de amor e muito gozo com o USD, regada de um bom champagne. Vende-se o corpo, conserva-se a alma no óleo ungido da 25 de março.

* * *  

Em nome dos valore$ morai$ a família Rothschild planejou durante muito tempo casamentos bizarros. Casavam-se os primos diretos e os de segundo grau entre si. Tudo para manter o PATER dentro das 4 linhas.

ATENÇÃO:… A Família Rothschild esteve diretamente envolvida no processo de Independência do Brasil. Foi ela que emprestou os dois milhões de libras esterlinas para que Pedro I pagasse seu pai, Dom João VI.

  • O português pagou o português com dinheiro inglês. Viva a in-Dependência!

Vivam os Bancos! Paz aos Senhores, morte aos Escravos!

Viva o livre- mercado, a livre iniciativa e a meritocra$ia!

“Deus ajuda quem cedo madruga” (Dito popular) – Alok diz amém; o padeiro, vai se fud**.

* * * 

Mrs, John – anglo-saxão e Banqueiro.

  • Segundo dados da University of Clowns, atualmente há 170 trilhões de dólares em circulação na economia mundial sendo controlados por 43 mil empresas, as quais são controladas por 174 empresas-corporações. Um verdadeiro monopólio da livre iniciativa. Das 174 empresas-corporações, cerca de 87 têm forte atuação direta no mercado financeiro. 
    • As 174 empresas-corporações são controladas majoritariamente por 3 grandes fundos de investimentos: BlackRock, Vanguard Group e State Street. Juntas elas controlam por volta de 25 trilhões de dólares e mais de 23 milhões de trabalhadores ao redor do mundo. Dos 3 fundos de investimento o maior é o Vanguard Group de capital fechado, acionista majoritário dos fundos BlackRock e State Street.

Viva o livre-mercado. Viva a democracia via crédito.

Admite-se lacaios!

* * *

Perdigoto (fascista da década de 1930) é aquele que gasta dinheiro na Hípica e no Automóvel Clube, nada comparado aos atuais passeios de lancha… (risos).

Perdigoto está condenado a ser um fascista meia-cura. Ele não pode apelar ao fascismo clássico porque vive num país de capitalismo dependente. Assim, o máximo que pode almejar é um governo bonapartista, amalgamando em si elementos fascistas e elementos parlamentares. Uma democracia militarizada. Lula/Bolsonaro/Ciro/ & militares. 

Não se esqueçam: o Perdigoto do século XXI (Bolsonaro) é produto do CQC de Marcelo Tas e Monica Iozzi.

* * * 

DEU NO FANTÁSTICO

  • Os socialistas universitários e comunistas de padaria, formados politicamente pelas cartilhas da tia Branca Alves de Lima, não sabem que o Brasil não pode produzir Hitlers e Mussolinis. O máximo que o Brasil pode produzir são os Perdigotos que utilizam o dinheiro público para comer gente e a máquina do Estado para empregar a família. Rachadinha.
  • Quem mandou matar Marielle? Freixo sabe, mas não quer dizer, tanto que agora ele foi para o PSB. Suruba Política! Nada contra, cada um está condenado a encontrar o seu Alckmin, mas nem sempre numa casa de carne de luxo cercada pela elite caudatária e com a conta paga pelo BTG Pactual. Lula: “Se organizar direitinho todo mundo transa”.
    • A polícia política que matou Marielle, Givaldo, mestre Moa, Cláudia Silva e outros milhares de trabalhadores e jovens continua sendo elogiada pelas mídias corporativas.

* * * 

Soem as cornetas, rufem os tambores::: Eis que vos apresento o guardião-mor da democracia autoritária brasileira – Alexandre de Moraes.

  • Pequeno Currículo: Ex-advogado da Transcooper, empresa de transporte da capital paulista vinculada ao PCC para lavagem de dinheiro; ex-secretário de Segurança Pública Estadual de Geraldo Alckmin, sendo mentor da brutal repressão sobre estudantes em 2015 que lutavam contra a especulação imobiliária que impunha o fechamento de escolas e salas de aula.

“O ministro Alexandre de Moraes, em entrevista ao jornal estadunidense “America for Americans”, prometeu defender a democracia, ainda que isso custe a vida de todos os brasileiros. Como primeiras medidas, ele determinará o bloqueio de todas as redes sociais e a prisão de todos aqueles que reclamarem”.

Numa histeria tremenda a ex-querda busca defendê-lo a todo custo diante da cruzada bolsonariana. A ex-querda não entende que tanto um como o outro servem ao mesmo Senhor – “I want you!” – em regime de cismogênese exibido pelas lentes da Rede Globo de Televisão. Telenovela da vida real. A audiência é você. Plin plin.

Fala Tony Ramos:::

– Se você quer que Bolsonaro seja preso disque 0800 702 155. 

– Se você quer que Alexandre de Moraes deixe o STF ligue 0800 702 171. 

Você decide, você escolhe o final.

* * *

Luta de classes por aqui nunca houve. Isso é coisa de europeu.

O negócio nos trópicos é mais Hard: é GUERRA DE CLASSES!

Não há espaço no Brasil para negociações. 

Edir Macedo sabe disso – “Ou Dá ou Desce”.

* * *

(Narciso): – Espelho, espelho meu, existe algum país mais nazifascista que o meu? 

(Espelho): – Sim querido explorado, a terra do Tio Sam. Hoje os States como potência imperialista hegemônica mantêm o controle massivo das armas, do dinheiro, das mídias, das matérias-primas, aliás, controlam bases militares em 136 países, financiam por volta de 200 bio-laboratórios de alto risco (guerra biológica), mercenários, grupos neonazistas no leste europeu e em Israel contra os palestinos.

“[…] há um momento em que a burguesia abandona sua velha máscara liberal. […] Organiza-se como classe. Policialmente. […] implanta-se pouco a pouco nos países onde o trabalhador é fraco e dividido…”

(Narciso): – Holy Shit! O Senhor da Guerra não gosta de criança!

“Enganos te trouxe/Quem um dia prometeu/Que seria criança/Como nos livros se leu”. (Poeta-Escarlate).

* * *

Follow the Money. A guerra ad infinitum valoriza o capital.

* * *

(Narciso): – America’s Corporate Democracy é melhor do que a democracia da Grécia Antiga. Enquanto na Grécia apenas 8% da população participava, nos States somente 1%. Lá há Sistema Único de Saúde público e universal? As crianças mexicanas ainda vivem em gaiolas de ferro?

(Espelho): – Brasil, verdadeiro Rei da Vela. Ser ou não ser, eis a questão?

(Narciso): – A Eletrobrás foi vendida a troco de pinga. Talvez parando de beber eu consiga comprar a Petrobras na próxima rodada do pregão da B3, claro, se Jorge Paulo Lemann assim permitir. Dono do Burger King, Lojas Americanas, Kraft, Heinz, Ambev, 3G Capital e testa de ferro do Goldman Sachs no Brasil. Preciso arrumar minha Tabata. Aceito currículo. Pago curso em Harvard.

* * *

(Enquanto isso nos bastidores da vida real ouve-se gritos continuados da ex-querda californiana tropical no Largo da Batata):

  • Ele não! Ele não! Ele não! Ele não! Ele não! Ele não! Ele não!
  • Fascista, racistas não passarão! Fascista, racistas não passarão!
  • Não acabou, tem que acabar, eu quero o fim da Polícia Militar!
  • Não ao corte de verbas na Educação! Não ao corte de verbas na Educação!
  • Justiça por Genivaldo, Marielle, Moïse…
  • Meu corpo, minhas regras! Meu corpo, minhas regras!

(Antes e depois dos gritos) – Ele continua. Os militares no Executivo Federal estão. A PM continua matando. A educação segue sendo privatizada.  A burguesia segue sem punição alguma. E Carolina Maria de Jesus continua a se perguntar: “What’s up?”.

Triste 🙁 

“A gente escreve o que ouve, nunca o que houve”. O. A.

* * *

A ex-querda gosta mesmo é de brincar de jacaré com o Tio Sam.

  • O Sam dá o comando, dizendo uma das duas opções. Se ele disser “cobra”, todos passam para o lado do desenho da cobra. Se disser “jacaré”, todos passam para o lado dele. Quem ficar no lado errado (ou pular para o desenho equivocado) sai da brincadeira. O vencedor é quem ficar por último. VALENDO.

A ex-querda é a caricatura fidedigna do nosso subdesenvolvimento. – O bom vem de lá, o daqui tem de acabar.

Mundo, dia 01 de Maio de todos os anos.

COMPARTIR:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deja un comentario

Plataforma Latino Americana