ArabicBasqueBelarusianCatalanChinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
VOTO NULO É PROTESTO, NÃO A FARSA

VOTO NULO É PROTESTO, NÃO A FARSA

Como assim que devemos aceitar sua farsa? NÃO, não seremos parte da sua mentira e do seu circo eleitoral. O POVO E OS TRABALHADORES QUEREM RESPOSTAS, NÃO MAIS MENTIRAS. As eleições 2022 tendem a repetir a farsa de 2018, mas ainda de maneira mais tragicômica...

No dia 8 de setembro, o porta-voz oficial da Rede Globo, Merval Pereira, publicou a matéria intitulada “No 7 de setembro, superamos mais um obstáculo rumo à eleição”.

Além de atacar duramente Jair Bolsonaro, como o fazem todos os jornalistas da Rede Globo, o “surpreendente” é que Merval expôs com todas as letras a política da Globo para as eleições.

“Foi um equívoco considerar que Bolsonaro era o melhor adversário do PT. Depois de quatro anos de governo, vê-se que não é possível aceitar que o presidente da República seja uma pessoa sem a menor noção do que seja ocupar o cargo.“

“Aparentemente não há mais tempo para uma terceira via, embora as últimas pesquisas mostrem um crescimento de Ciro Gomes e Simone Tebet. Mas há tempo para forçar um segundo turno em que o provável vencedor, Lula, seja obrigado a negociar com esses outros dois candidatos para fazer um governo de amplo espectro, não apenas da esquerda periférica do PT.”

Perante a impossibilidade de viabilizar uma candidatura pró imperialista pura de “terceira via”, e que não esteja tão queimada como era o caso do ex juiz Sérgio Moro, a política da mega golpista Rede Globo é “gerar um governo de amplo espectro”, ou seja aplicar a política da “frente ampla”.

A “frente ampla” em ação

A política da “frente ampla” é a política do imperialismo norte-americano, fundamentalmente levantada pelo Partido Democrata.

A ideia era criar um bloco para derrotar Donald Trump. Isso funcionou nos Estados Unidos de maneira muito frágil, pois além do bloco foram necessárias muitas manobras e fraudes para aplicá-la.

Mas como se trata da principal superpotência mundial, nada mais fácil que pegar uma política doméstica e impô-la em todo o mundo e, principalmente, no seu quintal traseiro, a América Latina.

No Brasil, seriam “todos” (a suposta “esquerda” integrada ao regime e a direita tradicional) contra Bolsonaro. Cabe até Geraldo Alckmin! Ele que é o hiper provado governador do Estado de São Paulo de tão “democrático”, foi empossado como vice do Lula.

A política da “frente ampla”, de fato, é uma caricatura da política do Partido Democrata nos Estados Unidos. De tão farsesca, lá irá custar as eleições de Meio Período, que acontecerão neste ano.

Aqui no Brasil, o custo, ou efeito colateral, é enterrar a base social do Partido Trabalhadores como mecanismo de contenção social do regime.

De tão reacionária, até a Rede Globo aderiu.

O que a Globo quer? 

Levar a eleição para o segundo turno e obrigar Lula/ Alckmin a fazer compromissos com os candidatos sobreviventes da “terceira via”, como Ciro Gomes e Simone Tebet, para poder controlar o próximo governo ainda melhor.

Assim ficaria mais simples continuar com o massacre do Brasil com menos dificuldades: “privatizações”, acabar com o que restou dos direitos trabalhistas, da Previdência, da escola e da saúde públicas; impor uma reforma tributária e uma taxação das grandes fortunas que mantenha tudo igual para os ricaços

As eleições 2022 tendem a repetir a farsa de 2018, mas ainda de maneira mais tragicômica, com um jogo de cena, de cartas marcadas, ainda mais podre.

É por esse motivo que devemos chamar os trabalhadores e o povo brasileiro a votar NULO já no primeiro turno para todos os cargos executivos e contra os políticos burgueses e integrados ao regime para os cargos legislativos.

COMPARTIR:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

1 comentario en «VOTO NULO É PROTESTO, NÃO A FARSA»

Deja un comentario

Plataforma Latino Americana