Como começar a derrota do fascismo no Brasil?

Como começar a derrota do fascismo no Brasil?

Preparados? pois, o fim do fascismo pode estar muito perto! Saiba como começar a derrota do fascismo no Brasil?

As manifestações em repúdio ao bolsonarismo servem para lutar contra o bolsonarismo desde que vão acompanhadas de ações de denúncia dos direitistas agrupados e «semi-escondidos» no governo Lula/ Alckmin que têm sido os promotores dessa corrente proto-fascista e que foram transformados pelo governo Biden nos agentes preferenciais do imperialismo norte-americano neste período.

Sem deixar muito claro o golpe contra o povo brasileiro e os povos latino-americanos que representou a imposição do governo Lula/ Alckmin e como o imperialismo norte-americano usa os vários instrumentos para nos massacrar é impossível lutar contra o fascismo.

A luta efetiva contra o fascismo não pode ser dada exclusivamente e preferencialmente dentro da institucionalidade burguesa porque o fascismo (e o mesmo se aplica para sua expressão local, o bolsonarismo) tem como origem justamente essa institucionalidade.

Os principais componentes do bolsonarismo estão nas forças armadas e na burocracia estatal em primeiro lugar.

O bolsonarismo foi impulsionado pela propaganda da imprensa burguesa, da alta burocracia estatal, principalmente pelo STF (Superior Tribunal Federal), pelas grandes confederações patronais (como a Fiesp, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, a Firjam do Rio de Janeiro e a Fiemg de Minas Gerais) e pela Embaixada dos Estados Unidos como orquestradora dos vários organismos do imperialismo e seus aliados.

O fato desses mesmíssimos organismos terem agido para desmontar o bolsonarismo e para fortalecer o governo Lula/ Alckmin deveria chamar muito, muitíssimo, a nossa atenção.

O bolsonarismo foi controlado, mas conforme a crise e o desgaste da “frente ampla” do governo Lula/ Alckmin aumentar, esse movimento fascista latente deverá retornar.

É por esse motivo que a luta contra o fascismo não pode ser desvinculada da luta contra a “institucionalidade” burguesa que está na sua origem.

O verdadeiro combate ao bolsonarismo, assim como a todo tipo de movimento fascista, deve ser dado nas ruas a partir da mobilização do movimento de massas.

O fato das organizações sociais, sindicais e políticas terem sido tomadas por burocracias pequeno-burguesas corruptas que atuam a favor do regime e em contra dos trabalhadores e do povo confunde. Principalmente depois dos governos do PT, dessas organizações têm sobrado muito pouco, com capacidade de mobilização pela base muito baixa.

As centrais sindicais de «esquerda» (CUT, CTB, Conlutas) estão mortas, tão mortas como as da direita e não têm nenhuma influência nas bases. A esmagadora maioria dos maiores sindicatos parecem mortos vivos e atuam como cartórios sem capacidade de mobilização.

O nosso papel como revolucionários deve ser continuar com a propaganda e na agitação e estarmos preparados para agir no novo ascenso social que impulsionado pela maior crise capitalista de todos os tempos é inevitável.

Novas organizações de massas classistas e revolucionárias devem surgir, ultrapassando as organizações cartoriais e corrompidas que existem hoje. É só uma questão de tempo.

COMPARTIR:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deja un comentario

Plataforma Latino Americana